15/09/2014

FESTA DA EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ

por Administrador Boa Semente

FESTA DA EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ Todos nós conhecemos muito bem a história de Jesus Cristo, filho de Deus que se encarnou no seio da Virgem Maria para morrer pelos nossos pecados. Sua morte é o ápice do projeto de salvação de Deus em nossas vidas: “Em verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades e […]

FESTA DA EXALTAÇÃO DA SANTA CRUZ

Todos nós conhecemos muito bem a história de Jesus Cristo, filho de Deus que se encarnou no seio da Virgem Maria para morrer pelos nossos pecados. Sua morte é o ápice do projeto de salvação de Deus em nossas vidas: “Em verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades e carregou os nossos sofrimentos; e nós o reputávamos como um castigado, ferido por Deus e humilhado. Mas ele foi castigado por nossos crimes e esmagado por nossas iniquidades; o castigo que nos salva pesou sobre ele; fomos curados graças às suas chagas” (IS 53, 4-5). E foi sobre uma Cruz que Jesus Cristo concretizou o maior ato de amor esponsal que pode existir no universo.

A Cruz foi o instrumento usado para aniquilar o abismo que o homem pecador havia colocado entre Deus e ele, se tornando “ponte” que ligou mais uma vez a criatura ao Criador. Segundo a tradição, a Vera Cruz (denominação dada às relíquias provenientes, segundo a tradição cristã, da verdadeira cruz em que Jesus Cristo foi crucificado) foi descoberta em 326 por Helena de Constantinopla, mãe do Imperador Constantino I, durante peregrinação à cidade de Jerusalém. A Igreja do Santo Sepulcro foi construída no local da descoberta, por ordem de Helena e Constantino.

A igreja foi dedicada nove anos após, em 335, com uma parte da cruz em exposição. Em 13 de Setembro ocorreu a dedicação da igreja e a cruz foi posta em exposição no dia 14, para que os fiéis pudessem orar e venerá-la. Em 614 os persas invadiram a cidade e tomaram a cruz, que foi recuperada pelo Imperador Bizantino Heráclioem 628. Após um ano em Constantinopla, a cruz retornou ao Santo Sepulcro. Daí em diante foi comemorado no dia 14 de Setembro a Festa da Exaltação da Santa Cruz, festa que celebra a cruz como instrumento de salvação, fonte de santidade e símbolo revelador da vitória de Jesus sobre o pecado, a morte e o demônio. Apesar de está ligado ao sofrimento da morte de Cristo, a Cruz traz memória não só da agonia do Filho de Deus, mas também recordação do amor e da compaixão para com toda a humanidade.

O amor de Cristo venceu a morte, o fez ressuscitar dos mortos. “Cristo ressuscitou dentre os mortos, como primícias dos que morreram! Com efeito, se por um homem veio a morte, por um homem vem a ressurreição dos mortos. Assim como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos reviverão. Cada qual, porém, em sua ordem: como primícias, Cristo; em seguida, os que forem de Cristo, na ocasião de sua vinda” (1 Cor 15, 20b-23). O sofrimento faz parte da vida daqueles que assim como Cristo querem renascer para uma vida nova. E é só através de uma vida doada a caridade que se conseguirá a vitória sobre as trevas. “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. Porque quem quiser salvar sua vida, vai perdê-la. Mas quem perder sua vida por minha causa vai ganhá-la. Que adianta à pessoa ganhar o mundo inteiro se vem a prejudicar sua vida?” (Mt 16, 25-26).

Percebe-se que Deus deixa claro que não devemos viver em fuga dos problemas e dificuldades que a vida nos coloca, mas de supera-los por amor a Deus, a si e ao próximo. Unindo-nos ao Seu sacrifício, podemos fazer da nossa vida um sacrifício a Deus. Como seguidores de Cristo que somos, a Cruz para nós não é uma simples consequência da nossa missão, mas, uma opção convicta que fazemos por amor ao Pai, pela Salvação da humanidade.

Nós não apenas suportamos o sofrimento, mas, amorosamente optamos por ele, unindo-o ao sacrifício de Cristo, para também em nós o Pai seja glorificado e muitas almas sejam salvas. (Estatuto 122). Falar em abraçar o sofrimento nos dias de hoje pode causar muita confusão e divisão de opiniões. No mundo onde o que mais se busca é o bem estar, o progresso, o desenvolvimento, conforto, riqueza e tantas outras qualidades que visam a um estado de “paz”, é muito contraditório e as vezes considerado loucura se falar em abraçar o sofrimento e a cruz. “Com efeito, a linguagem da cruz é loucura para aqueles que se perdem, mas para aqueles que se salvam, para nós, é poder de Deus.

Pois está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei s inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o homem culto? Onde está o argumentador deste século? Deus não tornou loucura a sabedoria deste século? Com efeito, visto que o mundo por meio da sabedoria não reconheceu a Deus na sabedoria de Deus, aprouve a Deus pela loucura da prega ao salvar aqueles que crêem” ( 1Cor 1, 18-21). Mas para o entendimento do Mistério da Cruz, do sofrimento que leva a salvação, é preciso o auxilio do próprio Espirito Santo. Só Ele para dar sentido ao sofrimento e nos fazer perseverar, sabendo que temos um Deus que nunca nos abandonará. “Não deixemos jamais nos abater pelo desânimo, nem pelas seduções do mundo” (Hb 12, 1-3). No mesmo Espirito seremos levados a vencer as tentações, transbordar o amor, anunciar a Deus com a vida, gerarmos uma “alegria perene” através de uma “tristeza fecunda”, e assim como Maria, grande exemplo de adesão a Cruz, pela Cruz, nossa libertação e Gloria, chegarmos a Luz de Cristo (Estatuto VI).

Deus nos criou para que sejamos felizes. Jesus nos promete a felicidade eterna e a teremos. Porém, o apóstolo Paulo nos alerta: “se com Cristo morrermos com Ele ressuscitaremos”. A Cruz se aprende aos poucos com a ajuda do Espirito Santo e se transforma em nós na força para perseverar na nossa vocação e no serviço de Deus e dos irmãos. Quem não aprende a sofrer por amor, não pode perseverar na vocação (Estatuto 148).

Por isso amados irmãos vivamos nossa fé e nossos dias aqui na terra com a certeza de que se enfrentarmos as dificuldades com Deus e se não nos escondermos dos desafios e tribulações que certamente iremos encontrar na vida, no entardecer de nossos dias receberemos a coroa da justiça e poderemos descansar em paz nos braços de Deus dizendo: “combati o bom combate, terminei minha carreira, guardei a fé” (2Tm 4, 7).

Deus os abençoe e Maria os guarde!

10268474_456665204436764_6896970360738623314_n

 Thiago Silva 

     Thiago Silva,Noviço de Comunidade Mariana Boa Semente na dimensão   de aliança, Formando em Economia pela Universidade Federal do Ceará,  Membro do Ministério de Musica Boa Semente.

0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Lojinha Boa Semente Faça seu Pedido: (88) 9 9772-3677

Notoris - Agência Digital