Sementes de Vida

14/08/2020

Qual é a ligação de São Maximilian Kolbe com a medalha milagrosa?

“Ave Maria”: são estas as últimas palavras que São Maximiliano Kolbe, nascido na Polônia em 1894, pronunciou em Auschwitz em 14 de agosto de 1941, antes de morrer.

Padre Maximiliano Maria Kolbe, em 1918, depois de ser ordenado sacerdote, celebrou sua primeira missa em Roma, em “Sant’Andrea delle Fratte”. Foi o lugar onde, em 20 de janeiro de 1842, a Imaculada Conceição da medalha milagrosa apareceu ao judeu Alfonso Ratisbonne. O jovem judeu, que usava a medalha no pescoço como uma brincadeira, converteu-se instantaneamente.

A medalha milagrosa foi cunhada pela vontade de Nossa Senhora expressa a Santa Catarina Labouré na aparição de 27 de novembro de 1830. Padre Alfonso Longobardi, vice-pároco de “Sant’Andrea delle Fratte”, recorda a ligação entre padre Kolbe, a igreja romana, não muito distante da Praça de Espanha e a medalha milagrosa.

Qual é a ligação do padre Maximilian Kolbe com a medalha milagrosa?

R.- Existe este vínculo porque Alfonso Ratisbonne usava a medalha como brincadeira. Um amigo, que havia se convertido, pediu-lhe que a usasse. E ele lhe disse que também ele seria convertido. Alfonso pegou-a para zombar dele. Essa medalha será depois fundamental. Afonso dirá ter visto a Nossa Senhora como ela é representada na medalha, cunhada após a aparição a Santa Catarina Labouré.

E é muito simples. De um lado está a Virgem Maria, com uma oração a Maria. Do outro lado está a letra Maria, M, incrustada na cruz e em dois corações: o Sagrado Coração de Jesus e o coração doloroso da Virgem Maria. Esta medalha torna-se para o padre Kolbe o brasão, o sinal exterior que cada membro da Milícia da Imaculada deve levar consigo.

Padre Kolbe levava consigo e tinha no peito este sinal também em 14 de agosto de 1941, dia de sua morte em Auschwitz…

R. – Também ali, em Auschwitz, a vida do padre Kolbe foi uma vida de apóstolo. Uma coisa particular impressiona muito além de como ele morreu: o fato de que com sua presença naquelas celas ele se torna uma presença de esperança. Conta-se que nas celas não há mais gritos e choros, mas canções e orações.

E, não por acaso, as últimas palavras do padre Maximiliano Maria Kolbe antes de sua morte serão: “Ave Maria”. Poderíamos dizer que estas palavras são a síntese de uma vida que se doa e se coloca nas mãos da Imaculada e se torna um instrumento de santidade.


0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Confira as atualizações dos Blogs!
Notoris - Agência Digital