Sementes de Vida

09/08/2017

Papa pede fim da violência e de crimes em locais de culto

Apelo tem como contexto o recente ataque em igreja na Nigéria e violência contra comunidades cristãs na República Centro-Africana Da Redação, com Boletim da Santa Sé Um novo apelo pela paz. Após a catequese desta quarta-feira, 9, o Papa Francisco pediu o fim da violência e do ódio e que não se repitam crimes em […]

Apelo tem como contexto o recente ataque em igreja na Nigéria e violência contra comunidades cristãs na República Centro-Africana

Da Redação, com Boletim da Santa Sé

Um novo apelo pela paz. Após a catequese desta quarta-feira, 9, o Papa Francisco pediu o fim da violência e do ódio e que não se repitam crimes em locais de culto, como aconteceu no último domingo, 6, na igreja católica de São Felipe, na Nigéria.

“Desejo que cesse toda forma de ódio e de violência e não se repitam mais crimes tão vergonhosos, realizados em locais de culto, onde os fiéis se reúnem para rezar. Pensemos nos nossos irmãos e irmãs da Nigéria e da República Centro-Africana. Rezemos por eles todos juntos”, pediu Francisco, rezando a oração da Ave Maria.

O Santo Padre voltou a falar hoje de sua tristeza com o ataque na Nigéria. Ele já havia manifestado o seu pesar em telegrama enviado ao bispo de Nnewi, Dom Hilary Paul Odili Okeke, na segunda-feira, 7. “Sua Santidade, o Papa Francisco, exprime suas condolências ao senhor e a todos os fiéis da diocese de Nnewi, em particular às famílias dos falecidos e a todos os afetados por esta tragédia”, foi a mensagem do telegrama assinado pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin.

No ataque, pelo menos 13 pessoas morreram e 26 ficaram feridas, conforme balanço informado ontem por Dom Hilary Paul. O bispo visitou as vítimas e familiares nos hospitais e pediu que continuem confiando em Deus.

Além do ataque na Nigéria, o Papa também se referiu em seu apelo a notícias desta manhã que relatam violência homicida contra comunidades cristãs na República Centro-Africana. Segundo informações da Rádio Vaticano, o bispo de Bangassou, sudeste da República Centro-africana, Dom Juan José Aguirre Muñoz, denunciou ataques à missão de Gambo, a 75 km de Bangassou. O missionário comboniano contou que há três domingos não conseguem abrir a catedral, pois não deixam as pessoas entrarem.

 

0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Confira as atualizações dos Blogs!
Notoris - Agência Digital