Notícias

23/07/2020

Rumo à Rússia, Dom Giovanni agradece por missão no Brasil

Bispo italiano despediu-se do Brasil em missa celebrada nesta quinta-feira, 23, no Santuário Nacional de Aparecida; Dom Giovanni foi nomeado novo Núncio Apostólico na Rússia

Julia Beck
Da redação

Com uma missa no Santuário Nacional nesta quinta-feira, 23, o núncio apostólico no Brasil,  Dom Giovanni D’Aniello, marcou sua despedida do país. No começo deste mês, ele foi nomeado pelo Papa Francisco como novo Núncio Apostólico na Rússia. O bispo italiano esteve oito anos e meio à frente da Nunciatura Apostólica no Brasil.

O arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, juntamente com o cardeal e arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, e mais 17 bispos brasileiros marcaram presença na celebração eucarística. Dom Orlando recordou a chegada do bispo italiano ao Brasil, quando encontrou com o episcopado brasileiro em uma Assembleia Geral da CNBB e recordou as palavras do Papa Francisco no último encontro que teve com os Núncios em Roma. “Ele dizia que vossas vidas são itinerantes, que mudais de lugar sempre de mala na mão, assim como Abraão”, afirmou.

O arcebispo ressaltou as abdicações feitas pelos Núncios. “Despojam-se de projetos, amigos, vínculos criados no trabalho e começam sempre de novo, vivem no provisório, não têm lugar para criar raízes nem uma comunidade estável”. Por fim, destacou: “Levam Cristo a lugares destinados, amando-O em cada país”.

Homilia

Em sua homilia, Dom Giovanni D’Aniello sublinhou que, junto com suas malas, carregará consigo muitas satisfações, alegrias e agradecimentos pelas missões que cumpriu em terras brasileiras.

O bispo italiano contou que foi um desejo seu celebrar no Santuário Nacional de Aparecida antes de partir para sua nova missão e recordou que o local foi seu primeiro destino quando retornou ao Brasil, após 15 anos fora. “Foi uma oportunidade de ir aos pés de Nossa Senhora e entregar minha missão. Agora, não posso deixar o Brasil sem dizer: obrigado!”.

Com este gesto, Dom Giovanni explica que quis agradecer as oportunidades que teve no Brasil. “Tive a alegria de experimentar tantas coisas bonitas e o que mais vou levar comigo é a presença de uma Igreja viva. Apesar das dificuldades e limites, uma Igreja que se coloca disponível aos irmãos”.

Dos estados brasileiros, somente o Acre e o Amapá não receberam a visita do Núncio, mas o bispo italiano reafirmou que em todos os outros estados pôde experimentar a Igreja dos sonhos do Papa: uma Igreja em saída. “Não tem satisfação maior do que constatar isso e testemunhar a unidade do episcopado brasileiro”.

“Terei muitas saudades disso aqui. Vou para uma realidade completamente diferente”, comentou Dom Giovanni. O novo Núncio da Rússia afirmou que, sem dúvida, ter vivido esta unidade e proximidade com o povo brasileiro o impulsiona e impulsionará a continuar sendo testemunha da presença de Deus. “É preciso mostrar Deus presente em nós”, frisou.

Compreender o desígnio de Deus só é possível quando homens e mulheres estão próximos d’Ele, revelou Dom Giovanni. “Quanto mais centrados n’Ele, mais compreenderemos o que Ele quer, saberemos testemunhá-lo e fazê-Lo presente no meio do povo”. De acordo com Dom Giovanni, Cristo diz que o coração precisa estar em sintonia com Deus, sendo a oração, a meditação e a entrega total à vontade de Deus os principais caminhos.

“Como me entreguei nos braços de Maria quando cheguei aqui, também quero fazer isso. Entrego-me nas mãos de Deus, pedindo que elas façam comigo o que fez com Jesus, que me conduzam. (…) Peço vossas orações para que isso possa ser possível e asseguro as minhas também. O coração do Núncio é elástico, sempre estarão em meu coração!”, afirmou aos bispos e ao povo brasileiro.

Por fim, Dom Giovanni destacou que a distância física não é a espiritual e agradeceu por todo o período no Brasil. “Tem uma expressão que aprendi quando cheguei aqui há 15 anos: Não mereço, mas agradeço!”.

Participaram da Missa também os seguintes bispos: Dom Fernando Mason – bispo de Piracicaba; Dom José César – bispo de São José dos Campos; Dom João Bosco – bispo de Osasco; Dom Paulo César – bispo de São Carlos, Dom Wilson Angotti – bispo de Taubaté; Dom Eduardo Malaspina – bispo auxiliar de São Carlos; Dom Darci Nicioli – bispo de Diamantina, Dom George Khoury – da Eparquia Greco Melquita Católica; Dom Eduardo Vieira e Dom Luiz Carlos – bispos auxiliares de São Paulo; Dom Vicente Costa – bispo de Jundiaí; Dom Sérgio Colombo – bispo de Bragança Paulista; Dom Carlos Altieri – bispo emérito de Passo Fundo; Dom Edgard Madi – bispo da Eparquia Maronita do Brasil; Dom Arnaldo Cavalheiro – bispo de Itapeva; Dom Inácio Müller – arcebispo de Campinas e Dom Pedro Stringhini – presidente do Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Missão na Rússia

Após missa no Santuário Nacional, Dom Giovanni conversou com a equipe do Canção Nova Notícias e comentou sua alegria e satisfação pelos anos que permaneceu no Brasil. O Núncio voltou a enfatizar a unidade da Igreja no Brasil e destacou o cuidado do episcopado nacional com o povo.

Sobre sua ida à Rússia, o bispo afirmou: “Vou com muita saudade. Essa foi a segunda vez que fui Núncio no Brasil e agora sairei com muito mais saudade, mas todas as recordações que vou levar me sustentarão nesta nova missão na Federação Russa!”.

A mudança para um país com uma realidade diferente do Brasil também foi comentada por Dom Giovanni. “A Rússia é o maior país do mundo, (…) mas não é apenas a dimensão territorial que é importante, e sim encontrar pessoas neste diálogo com uma nova cultura e realidade, sempre me colocando à disposição para dialogar com todos e receber deles também. Quero ser, sobretudo, esta ponte entre a Igreja local e Roma, o país que nos acolhe e a Santa Sé”.

O bispo italiano concluiu deixando uma mensagem aos brasileiros diante deste difícil momento de crise sanitária: “Coragem, força, Deus está conosco. Maria irá nos conduzir nessas dificuldades!”.

0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Confira as atualizações dos Blogs!
Notoris - Agência Digital