Notícias

06/10/2020

Presidência da CNBB fala sobre a Fratelli Tutti, nova encíclica do Papa

Bispos afirmam que a Encíclica Fratelli Tutti é um convite ao diálogo generoso a ser acolhido por todas as pessoas

CNBB

Bispos membros da presidência da CNBB/ Foto: CNBB

A presidência da CNBB divulgou, nesta segunda-feira, 5, uma nota sobre a terceira encíclica lançada pelo Papa Francisco no último dia 4 de outubro: Fratelli Tutti. No documento, os bispos afirmam que a Encíclica é um convite ao diálogo generoso a ser acolhido por todas as pessoas, como possibilidade para encontrar novos itinerários, a partir das indicações do Santo Padre para investimentos na dimensão universal da doutrina do amor e na melhor política – fundamentada na caridade social.

Leia também
.: CN Notícias Edição da Manhã entrevista Silvonei José sobre “Fratelli tutti”
.: Cardeal Orani fala sobre a nova Encíclica social “Fratelli tutti”

A presidência da CNBB afirma que a Igreja no Brasil acompanhou com muita atenção e alegria a assinatura e a publicação da Encíclica Fratelli Tutti. A nota também enaltece a coragem do Papa Francisco que, com sua voz profética, aponta para o esvaziamento das palavras que consolidaram o ideário de um mundo moderno – liberdade, justiça, democracia e unidade. “O Santo Padre também adverte a respeito do atual sistema econômico: não gera vida. Ao contrário disso, aprofunda desigualdades sociais”, diz um trecho do documento.

Conheça a íntegra do documento:

Encíclica Fratelli Tutti

A Igreja no Brasil acompanhou com muita atenção e alegria a assinatura e a publicação da Encíclica Fratelli Tutti. A apresentação da Encíclica, em cerimônia simples, mas muito significativa, ocorreu no túmulo de São Francisco de Assis, inspiração para o magistério do Papa Francisco.

O Santo Padre, que já havia indicado a necessidade de a Igreja sair rumo às periferias existenciais, agora nos pede para vencer as sombras de um mundo fechado. Um caminho que exige investimentos na dimensão universal da doutrina do amor e na melhor política – fundamentada na caridade social.

A Encíclica é publicada em contexto oportuno, quando se percebe que muitas sociedades, com seus líderes e projetos, ao invés de promoverem o bem comum, geram mais divisão e polarizações, criando abismos entre grupos. Uma divisão que se reflete e é ampliada nas plataformas e redes sociais.

Fratelli Tutti é um convite ao diálogo generoso a ser acolhido por todas as pessoas. Eis a possibilidade para encontrar novos itinerários, a partir das indicações do Santo Padre. Louvado seja Deus pela coragem do Papa Francisco que, com sua voz profética, aponta para o esvaziamento das palavras que consolidaram o ideário de um mundo moderno – liberdade, justiça, democracia e unidade. O Santo Padre também adverte a respeito do atual sistema econômico: não gera vida. Ao contrário disso, aprofunda desigualdades sociais.

A Encíclica é um convite a cada pessoa para efetivamente participar na reabilitação de uma sociedade que precisa curar as suas feridas. O texto do Papa Francisco estimula a reflexão e as ações concretas ante aqueles que permanecem caídos e feridos, nossos irmãos. Uma pergunta interpelante: seguiremos o exemplo do Bom Samaritano ou permaneceremos indiferentes à dor de nosso semelhante?

A Igreja no Brasil vai se dedicar à Encíclica e, inspirada em suas reflexões, trilhará novos percursos para ajudar na construção da Fraternidade Universal. Um compromisso com a promoção do bem comum, dos valores universais e da nossa fé.

Brasília-DF, 5 de outubro de 2020

Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte, MG
Presidente

Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre, RS
1º Vice-Presidente

Mário Antônio da Silva
Bispo de Roraima, RR
2º Vice-Presidente

Joel Portella Amado
Bispo auxiliar do Rio de Janeiro, RJ
Secretário-Geral

0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Confira as atualizações dos Blogs!
Notoris - Agência Digital