13/01/2015

Surdo, mas feliz

por Comunidade Shalom

O aparelho pode funcionar, como também pode não funcionar; mas o amor de Deus nunca para

O aparelho pode funcionar, como também pode não funcionar; mas o amor de Deus nunca para

Eu precisava de uma consulta com o otorrino. Durante vários dias eu fui atacado pela dor, que incomodava a mim e a meus amigos. Eles me convenceram a ir não só para medir a possível perda de audição, mas especialmente para impedir o avanço do mal.

Reconheço que as preocupações me deixaram pensativo e me tirou o sorriso. Encontrei uma criança cujo brilho de seu sorriso normalmente refletia no meu rosto; vendo-me estranhamente pensativo e preocupado, com uma careta, franziu a testa, como se quisesse me dizer que ele não gostava de mim daquele jeito. Percebi que eu não era o espelho da confiança em Deus, porque eu estava vivendo na sombra do meu ego.

Essa criança me inspirou a viver com plena confiança no amor de Deus. Somente quando estamos sob essa luz, transmitimos luz.

Então, acalmei minha alma e fui ao otorrino. Antes de entrar, eu parei para olhar uma foto na porta da frente: o retrato de um homem idoso muito sorridente e em baixo as palavras: surdo, mas feliz. Feliz, porque, poderíamos dizer, ele usava um aparelho que funcionava bem. Aquele sorriso anunciava o bom trabalho da empresa.

Mas eu quero ser feliz – disse para mim mesmo- especialmente porque em todas as circunstâncias, favoráveis ou desfavoráveis, eu acredito no amor de Deus: esta é a saúde que ninguém pode roubar.

O aparelho auditivo pode funcionar, como também pode não funcionar; mas o amor de Deus trabalha sempre, nunca para.

Fonte: ZENIT

0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Lojinha Boa Semente Faça seu Pedido: (88) 9 9772-3677

Notoris - Agência Digital