Artigos

22/03/2019

Piedade de pai para filho

Carreguemos nossos filhos até Jesus como os amigos daquele paralítico: na audácia subamos o telhado levando as caminhas com nossas crianças até Jesus para que um dia elas sozinhas caminhem correndo em Sua direção.

“Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar”. (Dt 6, 6-7)

Quando tive minha primeira filha, durante seu primeiro ano de vida, observando seu aprendizado nas coisas mais simples como andar, falar, brincar… Deus colocou uma certeza no meu coração: as crianças são capazes de Deus.

Antes eu pensava que a espiritualidade era algo lá pros seus sete anos, afinal é mais ou menos nessa idade que as pessoas colocam os filhos na catequese.  Vejo que na idade de sete a dez anos eles adquirem os primeiros traços da razão e que nós vemos as primeiras folhas nascerem, porém, desde cedo, perto dos dois anos de idade, já existe algo belo e que só a vida de piedade dos pais, a igreja doméstica, pode fazer: a semeadura.

Nessa fase, as crianças repetem tudo o que elas observam. Tomam nota do que os pais fazem, como fazem, e aprendem na frequência que fazem.

Assim, existiram crianças santas e piedosas, e temos muitas em quem nos espelhar.

Aí você pode me dizer: “ah, mas ela vai repetir e não vai estar entendendo!” Eu respondo: Sim, mas é isso que traz memórias e raízes dentro de uma espiritualidade cristã e católica, pois assim as famílias de grandes santos fizeram.

Quero partilhar práticas que têm me ajudado; são atitudes que tenho perseverado e buscado crescer dentro delas. Algumas são resultado da observação do que deixa minha filha mais ou menos agitada, outras de partilhas com outras famílias católicas e outras, ainda, pela leitura da vida de alguns santos.

* Introduza desde cedo uma vida sacramental. Ir à missa aos domingos é um dever e uma necessidade de todos nós católicos. Sei que crianças pequenas dão trabalho, mas existem práticas que depois que comecei a exercitar fizeram muita diferença e também podem te ajudar, como:

  • Participar da missa com atenção e devoção. A forma que nós participamos da celebração fala muito mais sobre Jesus do que as palavras;
  • Tentar não sentar perto de outras crianças. Elas se juntam e querem brincar. Daí pronto, ninguém segura mais;
  • Educadamente, não permitir que as pessoas brinquem ou conversem com as crianças durante a missa. Quando necessário conversar/explicar em pouquíssimas palavras algo na celebração pra que chame a atenção da criança;
  • Procurar sentar em um lugar que vocês vejam o altar para que ele chame a atenção;
  • Não levar brinquedos;
  • Alimentar a criança antes da missa e levar água. Isso evita que a criança fique irritada na hora da celebração;
  • Escolher uma celebração num horário que a criança não esteja com sono, e de preferência em que a igreja esteja menos lotada;
  • Desde pequenas, vestir adequadamente as crianças para a celebração.

Muitas vezes, tudo isso vai dar certo, já em outras a criança pode estar mais inquieta e agitada. Tente ficar dentro da Igreja, com cuidado para não distrair outras pessoas. Comungue com piedade e tenhamos paciência com as circunstâncias do dia.

Tanto nos dias de agitação como nos de calmaria, o Senhor olha com alegria a presença de nossas crianças ao seu redor. Ele mesmo disse: “Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais, porque delas é o Reino dos Céus”.

Escolha orações pequenas e simples durante o dia para ensinar e rezar com suas crianças, pois crianças entre dois e cinco anos de idade não ficam muito tempo em uma única atividade. Exemplos:

  • Um pequeno oferecimento do dia ao acordar, oração antes das refeições, Ângelus e oração antes de dormir. Mesmo que a criança se distraia na hora da oração, não brigue, não insista demasiadamente. Apenas continue a oração com piedade. O momento da oração deve ser agradável;
  • O terço é uma linda oração e é pedido de Nossa Senhora que seja rezado em família. Uma boa ideia é começar rezando o Ângelus com as crianças menores;
  • Ensinar pequenas jaculatórias e orações espontâneas nas atividades do dia é também de grande valia pra semear no coração delas o amor pela intimidade com Deus;
  • Ler histórias da Bíblia e histórias dos santos. Existem vários livrinhos interessantíssimos para cada idade. Aqui em casa nós temos a Bíblia em rimas e Meu primeiro livro dos santos. Tem também os de colorir com pequenos trechos da Palavra, os de quebra cabeça, etc.

Participar dos sacramentos e das práticas de piedade com uma, duas ou mais crianças pequenas é por muitas vezes cansativo. Mas pais, coragem! É nesse apostolado de Amor que está a nossa santificação. Queiramos criar nossos filhos para o Céu. Queiramos crescer no amor a Cristo. Carreguemos nossos filhos até Jesus como os amigos daquele paralítico: na audácia subamos o telhado levando as caminhas com nossas crianças até Jesus para que um dia elas sozinhas caminhem correndo em Sua direção.

Karyne Araújo Santiago

Aspirante na dimensão de Aliança da Comunidade Mariana Boa Semente

Missão Quixeramobim (Sede)

0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Confira as atualizações dos Blogs!
Notoris - Agência Digital