Artigos

31/12/2014

Passagem de ano

A passagem do dia 31 de dezembro para o dia 1º de janeiro, que costumamos chamar tradicionalmente “réveillon” ou simplesmente “virada” é cheia de eventos marcadamente superticiosos e mágicos, já que deverão ser realizados no momento em que os ponteiros se encontram.

A passagem do dia 31 de dezembro para o dia 1º de janeiro, que costumamos chamar tradicionalmente “réveillon” ou simplesmente “virada” é cheia de eventos marcadamente superticiosos e mágicos, já que deverão ser realizados no momento em que os ponteiros se encontram.

Contudo, para o homem de fé, a passagem do ano é ocasião de se colocar diante do Senhor do Tempo e Senhor da Vida, do Pai de onde provêm todo dom.
Será o momento de oração, de contemplação do que verdadeiramente serão comemorados, ou seja, os dois anos, o que vai e o que chega. Para o ano que passa, nossa celebração de ação de graças; para o ano que chega, a gratidão da esperança.

Além do tempo que se esvai na ampulheta pessoal e do aumento da idade, podemos perceber nosso amadurecimento, através de nossas reações frente aos acontecimentos e também o que fizemos para crescer no serviço aos demais e a Deus. A passagem de ano, para quem tem fé, é ocasião de avaliar o desenvolvimento de sua vida e qual tem sido, na verdade, o seu tesouro.

Se tudo for positivo ou pelo menos a maior parte, devemos bendizer a Deus e glorificá-lo porque a graça d’Ele não foi estéril em nossa vida. Devemos terminar a revisão do ano com Maria, entoando o Magnificat.

Mas se tivermos a triste conclusão de que tudo foi vaidade, de que nada de sólido foi feito, nada realmente foi vivido, de que tudo se esfumou como a bruma, nos resta ainda um posicionamento de fé: pedir perdão a Deus pela riqueza dissipada, ser realmente contrito, esperar na misericórdia divina e fazer um bom propósito de usar bem o que a prodigalidade celeste oferecer.

Uma coisa é certa, fomos criados no tempo, pelo amor de Deus, para uma vida eterna, além do tempo. Bendito seja Deus!

Que possamos aproveitar muito bem o tempo de nossa vida, para que ela seja plena do amor de Deus na eternidade! Quanto maior o empenho de amar neste mundo, maior nossa plenificação, nossa saciedade no outro, que é eterno!

0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Confira as atualizações dos Blogs!
Notoris - Agência Digital