Artigos

10/02/2019

Não escolhemos um carisma!

Eu não escolhi ser Boa Semente, foi Deus quem me chamou e eu aceitei. Ele me fez não apenas sentir, mas discernir e escolher todos os dias por Ele. Mesmo quando se caminha no deserto ou se vive a aridez das tempestades, é determinante entender que Deus chamou e escolheu.

Para falarmos de um carisma, é preciso primeiro entender o que ele fez em sua vida. Assim posso dizer que o carisma Boa Semente hoje é o caminho que Deus escolheu e chamou para trilhar a santidade. Viver em comum unidade com os outros me faz ver que nem sempre é simples e fácil como imaginamos, mas nos leva a crescer e nos faz também morrer, pois toda semente que quer dar bons frutos precisa morrer. As podas nem sempre são fáceis, pois nos fazem deixar a nossa infância imatura e nos levam a caminhar na retidão e no amadurecimento. Caminhar como Boa Semente me permite encarnar o Verbo, me faz entender a Cruz e me leva a abraçá-la para que, assim, eu possa melhor viver o meu chamado.

Não escolhemos um carisma! Eu não escolhi ser Boa Semente, foi Deus quem me chamou e eu aceitei. Ele me fez não apenas sentir, mas discernir e escolher todos os dias por Ele. Mesmo quando se caminha no deserto ou se vive a aridez das tempestades, é determinante entender que Deus chamou e escolheu. Por isso, testemunho que há 05 anos caminho como Boa Semente, depois daquele verdadeiro Despertar em 2013. Mas bem antes, em 2011, o Senhor já havia plantado a semente em meu coração, embora o terreno ainda precisasse ser cuidado!

Nesses dois anos, Ele me preparou. O Senhor me deu sinais de que era aqui o meu lugar, me levou a experimentar por um ano como missionária uma vida entregue toda a Jesus, a sentir dentro de tantos irmãos o que é ser verdadeiramente acolhida como família e a experimentar a misericórdia e o amor de cada um.

Aprendi dentro da Comunidade que às vezes é preciso descer, morrer, e depois sentir o pó do deserto que nos faz, tantas vezes, querer desistir. Mas é aqui, quando olho para os meus irmãos, que sinto como Cristo me ama, Ele me deu uma família para ser o apoio nas tribulações.

A Comunidade não é o fim, pois a meta é o Céu, mas ela é o meu caminho, a força da minha alma fraca, a certeza do que o Pai me chamou. Há momentos em que sentimos que as nossas estruturas foram tiradas, mas quando olhamos para cada um que partilha da mesma vocação e nos ama por aquilo que somos sem nos impor rótulos, percebemos que uma família, mesmo com altos e baixos e por causa deles, imprime uma nova versão de nós mesmos, mostrando-nos que passaremos por todas as estações e, ao fim, estaremos de pé, porque é na Comunidade que somos fortes e nela encontraremos sempre as melhores maneiras de nos tornarmos santos. Que Deus lhes abençoe e Maria lhes guarde!

Conceição Jaimara Lourenço Damascena

Noviça na dimensão de Aliança da Comunidade Mariana Boa Semente

Missão Quixeramobim (Sede)

0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Confira as atualizações dos Blogs!
Notoris - Agência Digital