31/12/2017

Em 2018, olhe para fora

por Fonte: Shalom São Paulo

É assim que terminamos o ano exaustos. Vamos fazer diferente? 27 de dezembro de 2017 Muitos de nós vivemos como se o sentido da vida fosse cumprir todo o check listde tarefas diárias.  Trabalhamos muito, ficamos acordados até tarde, tentamos responder a todos os e-mails e, ainda assim, terminamos o dia com aquele velho sentimento de […]

É assim que terminamos o ano exaustos. Vamos fazer diferente?

Muitos de nós vivemos como se o sentido da vida fosse cumprir todo o check listde tarefas diárias.  Trabalhamos muito, ficamos acordados até tarde, tentamos responder a todos os e-mails e, ainda assim, terminamos o dia com aquele velho sentimento de culpa. Não deu tempo de telefonar para uma pessoa querida. De dar aquela mão no job que seu primo/amigo/vizinho pediu. De se alimentar direito. De voltar a praticar aquele esporte, um ato de caridade, uma gentileza.

O ano termina como se tivesse começado ontem. Como passou tão rápido? No dia a dia, supervalorizamos nossas “emergências” e nos desgastamos com estresses cotidianos que, no fim das contas, não eram tão importantes assim. Alguém que te fechou no trânsito. Uma pessoa que criticou uma atitude sua. Que importância essas coisas terão no futuro? É assim que terminamos o ano exaustos. Vamos fazer diferente?

Em 2018, seja o seu melhor amigo.

É você quem mais convive com você, então, trate-se bem. Não dê tanta atenção ao tipo de estresse que não acrescenta em nada ao seu propósito de vida. Depois, seja cauteloso e fique atento a seus humores, a maneira como responde às pessoas em dias que não acorda bem. É importante provar quem está certo? É realmente necessário falar disso na hora do jantar? Decida: vale o desgaste emocional?

Em 2018, escolha suas batalhas.

No próximo ano, haverá pessoas que ainda irão te criticar, porque você continuará encontrando pessoas com pontos de vista diferentes dos seus e que, simplesmente, discordam de você. Grande coisa! Aceite o comentário que vier e, se alguma vez for injusto, o que isso muda? Resista à necessidade de se defender o tempo todo. Não entre nesse campo de guerra.

Em 2018, quebre seus espelhos e olhe para fora.

A dica é do Papa Francisco, e cai muito bem para começar um novo ano! Procure se interessar, verdadeiramente, pela maneira como as pessoas vivem, agem e sentem. Saia de si e busque entender o universo delas, a partir do olhar delas, e então substitua seus preconceitos pelo sentimento de compaixão.

Antes de julgar alguém, antes de falar sobre aquele jeito diferente de alguém, reflita que talvez seja apenas dessa maneira que tal pessoa, dentro de seu contexto histórico e cultural, consegue enxergar as coisas. Pratique a empatia. Outro ganho é que você se sentirá menos frustrado. Você vai descobrir que tudo bem, as pessoas não precisam corresponder às suas expectativas.

Em 2018, seja grato.

Gratidão é poesia que nasce da alma, faz nosso ser florescer e nossa vida sorrir. Sejamos gratos pelas pessoas que cruzaram nosso caminho e nos permitiram conhecer um pouco mais sobre elas e até sobre nós. Sejamos gratos pela oportunidade de estarmos vivos.  De sermos pessoas melhores ano após ano. Sejamos mais gratos a Deus, que tem nos abraçado com ternura, como filhos.

Em 2018, viva a generosidade

Aprecie a sua vida no tempo presente, e, onde estiver, esteja presente. Desligue um pouco esse celular. Desacelere. Seja um bom ouvinte. Deixe o seu amigo terminar de falar, ele ainda nem completou a frase. Deixe a sua avó contar aquela mesma história que você sabe de cor. Olhe nos olhos das pessoas enquanto elas falam. Conecte-se com elas. Faça um elogio. Abra seu coração para as menores sutilezas e não tenha medo de sorrir, inclusive, para desconhecidos.

Santa Teresa de Calcutá disse certa vez que na vida não podemos fazer grandes coisas, apenas pequenas coisas com grande amor!

Amemos!


0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Lojinha Boa Semente Faça seu Pedido: (88) 9 9772-3677

Notoris - Agência Digital