15/03/2017

Disciplina espiritual: eu posso!

por Iali Nogueira Mendonça

“A oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado ao céu, um grito de reconhecimento e amor no meio da provação ou no meio da alegria”. – Sta. Teresinha do Menino Jesus.

 

Como bem diz Santa Teresinha, a oração deve partir do coração e deve ser o encontro da sede de Deus com a minha, pois Deus tem sede de que nós tenhamos sede Dele (CIC 2560). Existem vários fatores que contribuem para que a nossa oração aconteça e que tenha proveito durante o dia. Fatores como tempo, pressa, horários a cumprir, preocupações, posso até dizer que eles costumam competir com Deus pela nossa atenção.

Quem nunca foi à Celebração Eucarística e no meio da homilia ou até mesmo das leituras se pegou pensando em algo que tinha que fazer e estava fora do prazo, nas coisas que deixou em casa ou nos problemas que tinha que resolver? Isso acontece a todo instante. É o coração que reza, se ele está longe de Deus, a expressão da oração é vã (CIC 2562). Façamos a experiência de ir meia hora a um lugar silencioso, sem falar com ninguém, sem ouvir música, sem ver televisão ou sem fazer nenhuma leitura e procuremos permanecer quietos; veremos que o barulho interior nos abafa, fazendo com que a distração logo nos alcance.

É por isso que é tão difícil ter disciplina espiritual, porque precisamos disciplinar primeiramente o nosso interior para poder nos encontrar com Deus e ouvir seu chamado de Pai que diz: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (cf. Mt 3,17).

Mas tenha calma e não se desespere, pois o Senhor já sabe de tudo isso e Ele é maior que nossa mente e coração, não desiste de nós!

Para iniciar esse caminho de disciplina, precisamos ter em mente que nossas ações não devem ser condicionadas pelos nossos sentimentos. Precisamos fazer a vontade de Deus, pois a oração de fé não consiste apenas em dizer “Senhor, Senhor”, mas em levar o coração a fazer a vontade do Pai (CIC 2611). O coração assim decidido a se converter aprende a orar na fé (CIC 2609). É necessário lembrar que por causa do pecado original o nosso humano sempre vai querer o bem- estar, o prazer, o gozo, por isso é de suma importância que busquemos o conhecimento de nós mesmos para dominar nossas vontades, pois, muitas vezes, não teremos vontade de orar, e é aí que precisamos de força e de disciplina (cf. Cor 9, 25).

Pensemos que todas as vezes em que nos colocamos em oração estamos chamando Jesus para fazer uma caminhada conosco, e é necessário ficar atento para não soltar a mão Dele, deixando-O caminhar sozinho. Não podemos deixá-Lo! Se isso acontecer durante sua oração, volte correndo para onde você deixou Jesus e continue a caminhada! Não esqueça que o combate é contra suas vontades!

Sabemos que a Igreja Católica é rica em documentos, cartas e livros. Para que eles nos ajudem, precisamos ouvi-la. Procure estudar sobre a vida dos santos, leia bons livros, pois a oração da Igreja e a oração pessoal alimentam em nós a esperança (CIC 2657).

Por último, gostaria de deixar dicas: procure traçar objetivos para sua vida espiritual da mesma forma que traça para sua vida pessoal e profissional, prepare metas diárias, faça propósitos, comece com pouco, mas não fique na inércia, Deus conhece o seu coração e as suas intenções. E não se esqueça que o tempo está nas mãos do Pai; no presente é que nós o encontramos, nem ontem, nem amanhã, mas hoje!

Iali Nogueira Mendonça

Consagrada na dimensão de Aliança da Comunidade Mariana Boa Semente

Missão Cedro

Coordenadora da RCC CEDRO

Tecnóloga em Gestão Comercial pela UniLeão

1 Comentário
  1. Rafael - RCC Mombaça disse:

    artigo abençoado irmã, obrigado

Deixe o seu comentário!

Lojinha Boa Semente Faça seu Pedido: (88) 9 9772-3677

Notoris - Agência Digital