21/07/2015

“Desde o ventre da minha mãe, eu sou povo escolhido teu”

por Myrella Messias /Postulante na dimensão de Aliança da Comunidade Mariana Boa Semente

“Desde o ventre da minha mãe, eu sou povo escolhido teu” A Paz de Cristo e a Alegria de Maria! Minha vida e vocação existem para celebrar a bondade e o auxílio de Deus, porque Ele me quis, mais do que minha mãe, meu pai, minha família, Deus me desejou! Minha história de conversão não […]

“Desde o ventre da minha mãe, eu sou povo escolhido teu”

A Paz de Cristo e a Alegria de Maria!

Minha vida e vocação existem para celebrar a bondade e o auxílio de Deus, porque Ele me quis, mais do que minha mãe, meu pai, minha família, Deus me desejou! Minha história de conversão não inclui grandes feitos, mas sim salvação pessoal, mudança de hábitos, empenho por restauração. Desde criança, tive contato com a comunidade, porque meus pais e vários familiares próximos são membros e, por isso, eu dizia que ia ser da Boa Semente, isso já era algo certo. Lembro que, aos 10 anos, eu estava em um Despertar Vocacional e o desejo de pertencer à Obra era tão grande que eu fiz um abaixo- assinado para entregar ao Fundador para participar do encontro. Mas depois desisti dessa aventura!

O tempo foi passando e, ao chegar na adolescência, eu descobri outras “alegrias”, que não são como a Alegria que nasce da Cruz, a Alegria por excelência, mas são bastante sedutoras. Palavras erradas, namoros, companhias, sair para se divertir. Tudo isso, inevitavelmente, me fez abafar a voz de Deus no meu coração, de modo que eu não tinha intimidade com o Pai. Chegou o ano de fazer o Despertar e eu já não tinha desejo, para mim simplesmente não fazia sentido, mas eu não tinha coragem para dizer isso às pessoas, ao Fundador, à minha família. Nesse contexto, eu me lembro de ter dito diversas vezes à minha mãe que talvez não ingressasse na comunidade porque ela tomaria muito tempo dos meus estudos, e eu queria passar no vestibular para Medicina. Ela me aconselhou, disse que era uma questão de equilíbrio, que era possível conciliar, mas como não era aquilo o real motivo, para mim não fez diferença. Contudo, o Deus que olhou para a minha pequenez (cf. Lc 1, 49-56), já estava com tudo preparado.

Como meus pais são membros, todo ano participávamos do Retiro das Famílias, e, naquele retiro, tudo em minha vida mudou, tudo mesmo. Eu já havia participado de vários momentos como aquele, desde que “me entendo por gente” eu acompanhava meus pais nessas ocasiões. Mas quando chega o nosso Kairós, o tempo da graça, não há como fugir. O Senhor já havia me buscado em tantas outras situações, por meio de tantas pessoas, mas eu me negava a responder. Naquele dia, porém, foi forte demais. Eu entendi que não havia alegria maior do que experimentar do amor de Deus e transbordá-lo aos irmãos.

Como toda experiência de Deus passa pela misericórdia, eu senti em meu coração um profundo desejo de me confessar, de repente. A fila estava enorme, eu era a última, mas não hesitei. Confessei-me às 23h, o padre e eu cansados, mas foi um momento único, simples, que me restaurou. Eu me senti tão limpa e tão compreendida! O padre me disse: “Minha filha, você pode me confessar aqui muitos pecados, mas a falta de perseverança não será um deles, porque você esperou até o fim”. Até hoje, nos momentos de dificuldade, eu lembro disso, que Deus me chamou para que eu esperasse até o fim. Pois bem, no outro dia, em uma celebração da Palavra, conduzida por um seminarista, Ele me chamou. Jesus me elegeu! Ele disse: “A felicidade existe para aqueles que são terra boa. Para esses, a felicidade é dar frutos!”

Foi mais que uma experiência de Deus, foi um chamado imediato para ser Boa Semente. Eu sai daquele retiro decidida a mudar totalmente. Em oração, decidi deixar companhias, evitei conversas, mudei hábitos, fiz um horário de estudos que me permitisse participar da missa,

rezar o terço, fazer oração pessoal. Passei a ter uma postura séria na Renovação Carismática, movimento do qual eu já participava, mas era inconstante. E quando chegou o agosto, veio o meu “Sim”. No meu caminho, encontrei pessoas maravilhosas, que me sustentaram pela oração em tantas tribulações que já vivi. Deus me deu muitos presentes a partir do momento que decidi que Ele era a minha vida. Deu- me os melhores amigos que alguém poderia ter, deu- me santos formadores, deu- me mais amizade com minha família, deu- me Seu Espírito, deu- me um namorado, um homem de Deus, que me auxilia no caminho, mas acima de tudo me concedeu Sua presença, e isso já me basta. O tempo passou, muita coisa em minha vida mudou, mas o mesmo desejo de pertencer a Cristo e ser Boa Semente está no meu coração. Permanece aceso, e há de continuar. O desejo de ser luz para os meus, assim como a Karol, minha grande mãe e amiga, consagrada da comunidade, sempre foi. Como a Mônica, minha acompanhadora, é. Como meus pais, como o Fundador. Como tantas pessoas que empenham sua vida no projeto que Deus lhes apresentou. Sou Boa Semente até o fim, Sou Muito Feliz!

Myrella Messias de Albuquerque Martins

Postulante na dimensão de Aliança da Comunidade Mariana Boa Semente

Missão Fortaleza

2 Comentários
  1. Myrella Martins Smsb disse:

    Sou muito feliz!!!

  2. MAYARA KELLY disse:

    Muita verdade em suas palavras Myrellinha! Você é shooow!

Deixe o seu comentário!

Lojinha Boa Semente Faça seu Pedido: (88) 9 9772-3677

Notoris - Agência Digital