Artigos

28/09/2020

7° DIA DA NOVENA A SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS

  1 – SINAL DA CRUZ 2 – VINDE ESPÍRITO SANTO… 3 – INTENÇÕES: Pessoal e Comunitária 4 – ORAÇÃO INICIAL (das Laudes – Liturgia das Horas, própria da santa) “Ó Deus, que preparais o vosso Reino para os pequenos e humildes, dai-nos seguir confiantes o caminho de Santa Teresinha, para que, por sua intercessão, […]

 

1 – SINAL DA CRUZ

2 – VINDE ESPÍRITO SANTO…

3 – INTENÇÕES:
Pessoal e Comunitária

4 – ORAÇÃO INICIAL
(das Laudes – Liturgia das Horas, própria da santa)

“Ó Deus, que preparais o vosso Reino para os pequenos e humildes, dai-nos seguir confiantes o caminho de Santa Teresinha, para que, por sua intercessão, nos seja revelada a vossa glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém

5 – PALAVRA DA SANTA SOBRE:

SER MISSIONÁRIA

“Não obstante a minha pequenez, quereria iluminar as almas como os Profetas, os Doutores, sentia a vocação de ser Apóstolo… Queria ser missionário, não apenas durante alguns anos mas queria tê lo sido desde o princípio do mundo e continuar até à consumação dos séculos. Mas acima de tudo, ó meu amado Salvador, quereria derramar o sangue por Vós até à última gota…. “(Santa Teresinha do Menino Jesus – Manuscrits autobiographiques, Lisieux 1957, 227-229)

6 – MEDITAÇÃO PESSOAL

7 – SANTIFICANDO-SE NA PEQUENA VIA:

BEATA MARIA CRUCIFIXA ROSA CURCIO
Virgem – Carmelita Descalço Fundadora da Congregação das Irmãs Carmelitas Missionárias de Santa Teresa do Menino Jesus

Nossa Beata de hoje coloca em prática o sonho de Santa Teresinha, de colocar o Carmelo para ser missionário
Sétima de dez filhos, Rosa nasceu em 1877 em Ispica, no sudeste da Sicília, em uma família de princípios sólidos mas de moldes antigos, que não pode conceber uma realização diferente para as mulheres a não ser no contexto familiar.
É por isso que o pai não permite que ela ultrapasse a sexta série, mesmo que segundo todos ela tivesse inteligência e memória para continuar os estudos. E é também por esta razão que ninguém na família vê com bons olhos a sua religiosidade e o seu desejo de frequentar os serviços religiosos na paróquia vizinha, porque isso a afastaria com demasiada frequência de casa.
Imagine, então, aceitar a vocação religiosa, que ela sente nascer cada vez com mais força em seu coração. Porque aos 11 anos Rosa, lendo casualmente a vida de Santa Teresa de Jesus, aprende a conhecer e amar o Carmelo e começa a pensar seriamente na vida religiosa. Aos 13 anos conseguiu arrancar de seu pai a permissão para ingressar na Ordem Terceira Carmelita, mas antes mesmo que pudesse ter uma breve experiência em um convento teve que esperar que esta fechasse os olhos.
Aqui está ela com 25 anos de idade entre as irmãs dominicanas de seu país, onde, no entanto, se detém porque “sente” que sua missão específica é “fazer florescer o Carmelo” em Ispica e além. Para mantê-la próxima e sob controle, os irmãos cederam-lhe alguns quartos na casa paterna, onde Rosa faz uma primeira experiência de convivência com alguns amigos, mas o fervor religioso acaba perturbando todo o bairro.
Então, com sua pequena comitiva, Rosa se muda para Modica, para assumir a administração de um hospício que oferece assistência a meninas órfãs ou necessitadas, enquanto tenta formar uma nova família religiosa. Um projeto não compartilhado pelo novo bispo de Noto, que gostaria que eles se fundissem em uma congregação dominicana que já existe na diocese, e assim para Rosa começam os primeiros conflitos e os primeiros mal-entendidos.
Ela percebe que não é esse o seu caminho aos 47 anos, quando finalmente conhece um carmelita, o padre Lorenzo van den Eerenbeemt, que procura um grupo de carmelitas prontos para ir para a Indonésia e que vê nela os frutos do fundador de uma nova congregação com vocação missionária.
Ele encontrou “casa” em Santa Marinella, na costa do Lácio ao norte de Roma, e em 1925 foram lançadas as bases da Congregação. Com tal ideal a faz transferir-se à Modica em 1912 junto a algumas companheiras para dedica-se ao trabalho com jovens órfãos. Tal inspiração divina a faz passar por algumas tribulações. Mas é com Padre Lourenzo van den Eerenbeemt, frade carmelita holandês que habitava a Roma, que seu sonho de um Carmelo Missionário ganha força ao unir-se com o sonho do mesmo Padre; assim em 3 de julho de 1925 se transfere a Santa Marinella, em 16 de julho mesmo ano a Congregação das Irmãs Carmelitas Missionárias de Santa Teresa do Menino Jesus se afilia a Ordem dos Irmãos da Bem Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, dedicando-se a missão especialmente à Evangelização, revelando o rosto misericordioso de Deus a todos, de maneira especial às crianças e jovens mais necessitados. Missionárias na missão durante o dia e adoradora a noite:
” A noite é hora de adoração é a hora de imensa ternura de Jesus Hóstia, mas quinta-feira é é hora de amor e de dor, no Getsemani, toda vez participo com mais intimidade e consciência de algumas imensas dores eu Jesus sofre naquela comovente agonia.”
O resultado de sua contemplação é bem visível em sua espiritualidade. A Beata Maria Crucifixa não seria a mesma sem a seus intensos momentos diante de Jesus Eucarístico, pois, é Ele quem dava forças para levar a diante o seu ardor missionário, a qual, impulsionada por Santa Teresa do Menino Jesus, ela encontrou, uma maneira de “fazer reflorescer o Carmelo”, portando ao mundo uma missão além dos claustros, tanto que a Beata a colocou no nome de sua Instituição para ser uma referência (Congregação das Irmãs Carmelitas Missionárias de Santa Teresa do Menino Jesus) conciliando a vida ativa na missão e vida contemplativa por meio da oração, pois esse era o desejo de Santa Teresinha, ser missionária:
“[…] Quisera percorrer a terra, pregar o seu nome e plantar no solo infiel a sua Cruz gloriosa! Mas, oh meu Amado, uma única missão não me bastaria: queria ao mesmo tempo anunciar o Evangelho nas cinco partes do mundo e até as ilhas mais longes… Queria ser missionaria não só por um ano, mas queria ser até a consumação dos séculos… ”
De fato, a foi em suas orações pelos missionários, e depois de sua morte, se tornou uma “missionária” mundial, convertendo muitos simplesmente com sua Pequena Via. Referente aos sacerdotes assim manifesta a Beata Cúrcio:
«Oh! Como queria gritar forte e fazer entender o mundo todo, a sublime missão do sacerdote, Ele na sua imensa bondade não podia conceder-nos um dom maior!… Como queria despertar os sacerdotes que desgraçadamente não compreendam a grandeza de seu ministério, me oferto, me imolo por estes irmãos tão privilegiados e choro por suas infidelidades.”

A semelhança entre santa Teresa do menino Jesus e da Beata Maria Crucifixa em referimento aos sacerdotes é que, tanto Teresinha quanto Crucifixa querem que o mundo preste atenção e dê valor ao Ministério sacerdotal, pois é por ele que Jesus Eucarístico se faz consagração. É por causa de Jesus que se tem a missão; e, é em Sua intenção Ele que acontece todo o serviço missionário.
jovens mais necessitados. No dia 28 de novembro de 1947 chega ao Brasil em Paracatu-MG as primeiras missionárias, a convite do bispo Dom Eliseu van de Weijer. Com a seguinte objetivo dada pessoalmente as suas irmãs: “Não esquecer os pobres” e “levar almas a Deus”

Nos anos seguintes também irão para o Canadá, Tanzânia e Filipinas.
Num intenso diálogo com Deus, com frequentes experiências místicas, num crescendo de amor pela Eucaristia e devoção a Nossa Senhora do Carmo Madre Maria Crocifixa Rosa Curcio se prepara para o encontro definitivo com seu Senhor, que se realiza em 4 de julho de 1957.
Foi beatificada no dia 13 de novembro de 2005, na Basílica de São Pedro , Cidade do Vaticano pelo cardeal José Saraiva Martins
Sua festa litúrgica é
04 de Julho.

Beata Maria Crucifixa Rosa Curcio , roga por nós, para que cresçamos na pequena via e santificado nesta vida cheguemos ao céus. Para aí abraçar a ti e a Santa Teresinha do Menino Jesus e juntos cantarmos louvor ao nosso Deus Trino. Amém

8 – ORAÇÃO FINAL
(composta pela Beata Maria Pierina de Micheli)

“Lembrai-vos, ó Santa Teresinha do Menino Jesus, da promessa que fizestes de passar o vosso Céu, beneficiando a terra atendei à fé e confiança com que vos invocamos e não à nossa indignidade, e deixai cair a vosso chuva de rosas, sobre nós, sobre todos as nossas precisões, especialmente, sobre a que hoje vos apresentamos. (nomina-las em silêncio) Iluminai a nossa alma
para bem compreendermos e seguirmos a vossa Pequena Vereda que vos levou a tão grande santidade; inflamai nosso coração com aquele amor que no vosso ardia, a fim de que, a pós as lutas desta Vida possamos convosco ir gozar da eterna bem-aventurança. Amém.”

PAI NOSSO…
AVE MARIA…
24x o GLÓRIA AO PAI…

SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS – Rogai por nós.

Antônio Gomes

Consagrado na dimensão de Aliança da Comunidade Mariana Boa Semente

Missão Quixeramobim (Sede)

Fontes utilizadas:

– Obras Completas de Santa Teresinha do Menino Jesus – Tradução (org.) da Ed. Paulus.
– Liturgia das Horas – Ed. Paulinas (versão online)

Site e blogs
consultados:

– Wikipedia
– https://carmelitas.org.br/index.php/2020/07/04/beata-maria-crucifixa-curcio-mulher-eucaristica-da-adoracao-ao-servico/

María Crocifissa Curcio, carmelita misionera, será beatificada este domingo



http://www.santiebeati.it/dettaglio/91336

0 Comentários
Deixe o seu comentário!

Confira as atualizações dos Blogs!
Notoris - Agência Digital